É já amanhã, dia 26, que encerra a exposição dos meus trabalhos, que se encontra patente no Teatro José Lúcio da Silva.
Aos amigos e apreciadores, que ainda não tiveram a oportunidade de visitar este evento, devo recordar que a entrada é livre e que o horário das visitas decorre das 18,00 às 22,00 h.
A última oportunidade para apreciar as obras exibidas  será assim, apenas durante mais dois dias - hoje e amanhã. 
Quero, entretanto, deixar aqui a expressão do meu muito sincero agradecimento a todos quantos me honraram com a sua presença
e manifestar a minha natural satisfação pelos muitos testemunhos de apreço.

2 comentários:

Victor Elias disse...

Aqueles que não encontraram tempo para apreciar a tua obra, por certo vão um dia lamentar o facto, pois apresentastes um trabalho honesto, talentoso e por demais valioso para ser olvidado. Sabes que há muitos que têm maravilhosas bibliotecas em suas casas, com obras de incalculável valor, fruto do trabalho de escritores famosos, mas nunca abriram um livro sequer para lerem alguma citação, meditarem algum trecho... porque são analfabetos culturais, que nem sabem como abrir o livro.
Verem pintura? Se podem ir ao local, porque perder tempo com isso? Umas 'bjecas' será tempo mais precioso, porque isso da cultura só se fôr dos tomates e dos feijões, das abóboras e das batatas.
Pobres de espírito, sem noção do belo, sem interesses para além do que a sua ignorância produz!
Não é preciso anunciares pois quem tem interesse está atento... e isso te basta para te realizares, porque podes ter poucos a vêr o que pintas... mas são bons!

Arnaldo disse...

Só um amigo da tua grandeza pode descrever com tal ênfase os atributos que ousaste registar na tua belíssima prosa.
Fico feliz e orgulhoso pela forma como interpretas as minhas telas.
A nossa cidade não valoriza este tipo de eventos e daí o facto de não poder entender essa atitude como falta de cultura. A hora a que a exposição estava disponível não teria sido muito favorável, já que coincidia com o final do dia de trabalho, o jantar, o telejornal, a novela, etc.
Como bem o dizes, só mesmo quem aprecia é que arranja tempo para o fazer.
Terá também havido outros motivos para algum desinteresse- um autor desconhecido, sem nome artístico, uma divulgação menos bem conseguida e, o principal, o comodismo.
Não importa, continuo a ser o mesmo. A minha modéstia é e será sempre igual.
Obrigado Victor! Um abraço de grande amizade.

About